Rivaldo, futebolista filho da fome

O corpo magro e cansado da criança corre pelo campo fora chutando a bola, enquanto se liberta da prisão mental em que vive, uma infância corrompida pela miséria e pela infelicidade, e onde a palavra esperança mora dentro das quatro linhas. O pequeno rapaz cresceu e hoje o mundo do futebol conhece-o como Rivaldo, porém antes de encantar a Catalunha, Milão e o Mundo, Rivaldo jogou a mais difícil de todas as partidas, a vida de um menino a quem viriam a chamar futebolista filho da fome.

Lembro-me de Rivaldo quando penso na importância da personalidade na construção de cada homem e penso também numa palavra para mim essencial para o sucesso de qualquer jogador.
Rivaldo nasceu em Paulista, no interior de Pernambuco e com pouco mais de dez anos passava os seus dias a tentar sobreviver, vagueando horas pelas praias de Recife vendendo doces e bebidas, resistindo à miséria e ajudando a mãe e as quatro irmãs com que morava num pobre casebre. Fustigado pelo azar da morte do pai, atropelado por um autocarro, Rivaldo refugiava-se nos campos do Santa Cruz, onde treinava, fazendo 20km a pé para cada treino, tudo pelo sonho de ser jogador de futebol e correr para longe da pobreza como corria atrás da pequena bola.

Felizmente o menino cresceu e o seu talento cresceu com ele e mostrou-se ao mundo, depois de brilhar no Brasil rumou a Espanha onde deslumbrou a Europa do futebol, entre Depor e Barça maravilhou tudo e todos antes de rumar a Itália para o colosso AC Milan, depois de Milão voltou ao seu Brasil durante uma época para depois viajar para a Grécia, para espalhar o seu talento, país acostumado a glorificar os seus heróis e agora Rivaldo é sem dúvida um deles. Neste momento está no Uzbequistão, treinado por Scolari, com um contrato milionário. Tudo isto acompanhado de muitos títulos e de um percurso notável na selecção brasileira.

Rivaldo foi e é um jogador notável, magia pura, num pé esquerdo capaz de levantar qualquer estádio, uma carreira marcada pelo sucesso, pela glória mas sem nunca perder da memória as suas raízes e o seu trajecto, segundo o próprio ainda conta os seus golos ao retrato do pai que guarda religiosamente, porque tudo em Rivaldo é assim, das praias de Recife para qualquer estádio do mundo, o menino magro que se fez homem, trabalhou para o seu sucesso e sorri com a sua dentadura postiça, colocada porque em pequeno todos os dentes lhe caíram, após cada golo e cada momento de magia.

Apesar de todo o talento, Rivaldo é a imagem do trabalho, da dedicação, da esperança e sobretudo da Humildade, a tão importante palavra que referi no inicio do texto, essa humildade e uma personalidade forte é crucial para a construção de cada Homem em geral e de cada futebolista em particular. Em dias de fama e sucesso, e onde tudo é passageiro, a verdadeira história só se faz a longo prazo, pois são essas as memórias que perduram, tal como Rivaldo, um menino que conquistou o mundo.


4 comentários:

Anónimo disse...

Se acharem pertinente divulguem este video:
http://www.youtube.com/watch?v=iSJ31IBCvj0

Geração Futebol disse...

Caro Anónimo,

Muito obrigado pela intervenção, é um assunto que me deixa bastante preocupado, espero que possa ajudar de qualquer forma com esta "pequena" mensagem.


Um abraço,
Dário Pinto

Anónimo disse...

Gostaria que voces colocace todaa trajetoria futebolistica do RIVALDO.
Os clubes por onde passou desde a infancia, quandos gols por cada clubeque defendeu e seus títulos

Grato

Carlos Santana

Anónimo disse...

Gostaria que voces colocace todaa trajetoria futebolistica do RIVALDO.
Os clubes por onde passou desde a infancia, quandos gols por cada clubeque defendeu e seus títulos

Grato

Carlos Santana